15 Junho 2021

João Martins: “Não há um investimento na prevenção e tratamento da recorrência, levando ao descrédito por parte dos doentes e a múltiplas intervenções”

A Doença Venosa Crónica (DVC) carece de uma abordagem holística e não segmentada, bem como de maior investimento no diagnóstico e no tratamento precoces. Esta é a visão de João Martins, angiologista e cirurgião vascular, assistente hospitalar graduado no Hospital de Santa Marta, em Lisboa, e responsável clínico do Consultório de Angiologia e Cirurgia Vascular (CACV). Em entrevista, partilha ainda como tem sido a gestão do diagnóstico e tratamento da DVC no atual contexto pandémico e defende a criação de unidades autónomas de flebologia nos serviços hospitalares.

Por favor faça login ou registe-se para aceder a este conteúdo.