Atualidade

29 Julho 2021

O papel do MGF no diagnóstico pró-ativo da Doença Venosa Crónica (DVC)

“É necessário ter um papel pró-ativo na procura dos primeiros sinais e sintomas. É necessário perguntar várias vezes pelos sintomas, mesmo os mais ténues, porque na maior parte dos casos os doentes desvalorizam”. Palavras de Sara Fernandez, especialista em Medicina Geral e Familiar, a propósito de uma sessão de médicos de família para médicos de família sobre Doença Venosa Crónica (DVC), no âmbito do DVC Summit, promovido pela Servier, com o objetivo principal de salientar o papel dos mesmos no diagnóstico, tratamento e seguimento desta doença.

Por favor faça login ou registe-se para aceder a este conteúdo.